5 de junho de 2012

NÓDULO DE TIREÓIDE – ENDOCRINOLOGIA – NEUROENDOCRINOLOGIA: NÓDULO DE TIREÓIDE É QUALQUER CRESCIMENTOANORMAL DAS CÉLULAS DA TIREÓIDE FORMANDO UM CAROÇO.

A MAIORIA DOS NÓDULOS DA TIREÓIDE É BENIGNA SOMENTE UM PERCENTUAL MUITO PEQUENO É MALIGNO (CÂNCER).

O nódulo da tireóide refere-se a qualquer crescimento anormal das células da tireóide em um caroço na tireóide. Embora a grande maioria dos nódulos da tireóide é benigna (não são cancerígenos), uma pequena proporção de nódulos tireoidianos são cânceres de tireóide. Devido a esta possibilidade, a avaliação de um nódulo de tireóide visa descobrir um câncer de tireóide em potencial. A maioria dos nódulos da tireóide não causa nenhum sintoma. O seu médico normalmente descobre-os durante um exame físico de rotina, ou você pode notar um caroço em seu pescoço enquanto olha em um espelho. Se o nódulo é composto de células da tireóide que ativamente produzem hormônio da tireóide, sem considerar a necessidade do corpo, o paciente pode queixar-se de sintomas de hipertireoidismo.  Alguns pacientes com nódulos de tireóide podem se queixar de dor no pescoço, orelha, mandíbula ou. Se o nódulo é grande o suficiente, pode causar dificuldade em engolir ou causar "cócegas na garganta" ou falta de ar se está pressionando a traquéia. 
Raramente, a rouquidão pode ser causada se o nódulo irrita um nervo ligado às cordas vocais. O nódulo da tiroide é o problema endócrino mais comum nos Estados Unidos. As chances são de 1 em cada 10 pessoas que irá desenvolver um nódulo de tireóide. Embora o câncer de tireóide é a mais importante causa do nódulo da tireóide, felizmente ocorre em menos de 10% dos nódulos. Isto significa que cerca de 9 dos 10 nódulos são benignos (não cancerosos). O mais comum tipo de nódulo tireoidiano benigno é conhecido como nódulo coloide e neoplasia folicular. Se um nódulo produz hormônios da tireóide, sem considerar a necessidade do corpo, ele é chamado de nódulo autônomo, e pode ocasionalmente, levar ao hipertireoidismo. Se o nódulo é preenchido com fluido ou sangue, ele é chamado de cisto da tireóide. Nós não sabemos o que provoca nódulos tireoidianos benignos. Um paciente com hipotireoidismo também pode ter um nódulo da tiroide, particularmente se a causa é a inflamação conhecida como Tireoidite de Hashimoto. Às vezes uma falta de iodo na dieta pode estimular a tireóide a produzir nódulos. 
Alguns nódulos autônomos têm um defeito genético que faz com que eles cresçam. Como a maioria dos pacientes com nódulos da tireóide não apresentam sintomas, a maioria dos nódulos são descobertos durante um exame do pescoço por outra razão, tal como durante um exame físico de rotina ou quando você está doente com um resfriado ou gripe. Uma vez que o nódulo é descoberto, o seu médico tenta determinar se o nódulo é o único problema com a sua tireóide ou se a glândula tireóide inteira foi afetada por uma condição mais geral como hipertireoidismo ou hipotireoidismo. O seu médico vai sentir a tireóide para ver se toda a glândula está aumentada, se há um único nódulo presente, ou se existem caroços ou muitos nódulos em sua tireóide. Os testes laboratoriais iniciais podem incluir exames de sangue para medir a quantidade de hormônio da tireóide (tiroxina, ou T4) e hormônio estimulante da tireóide (TSH) para determinar se sua tireóide está funcionando normalmente. A maioria dos pacientes com nódulos tireoidianos também terá provas de função tireoidiana normais. 
Raramente é possível determinar se um nódulo de tireóide é cancerígeno por exame físico e exames de sangue por si só, e assim a avaliação do nódulo de tireóide geralmente inclui exames especializados, tais como a punção biópsia com agulha fina dirigida por ultrassom. Uma agulha fina utilizada em um nódulo de tireóide pode parecer assustador, mas a agulha usada é muito pequena e um anestésico local pode ser utilizado. Este procedimento simples é feito no consultório do médico. Não requer qualquer preparação especial (sem jejum), e os pacientes geralmente voltam para casa ou ao trabalho após a biópsia, sem quaisquer efeitos nocivos. Para uma agulha de biópsia, o seu médico vai usar uma agulha muito fina para retirar as células do nódulo tireoidiano. 
Ordinariamente, várias amostras serão tomadas a partir de diferentes partes do nódulo para dar ao seu médico a melhor chance de encontrar as células cancerígenas se realmente existir um câncer está presente. As células são então examinadas sob um microscópio por um patologista. O relatório da punção biópsia com agulha fina dirigida por ultrassom pode chegar às seguintes conclusões: o nódulo é benigno (não cancerígeno).  Este resultado é obtido em 50% a 60% das biópsias e muitas vezes indicam um nódulo coloide. O risco de não se observar um câncer quando a biópsia é benigna é geralmente inferior a 3 em 100 casos.

AUTORES PROSPECTIVOS

Dr. João Santos Caio Jr.
Endocrinologia – Neuroendocrinologista
CRM 20611

Dra. Henriqueta V. Caio
Endocrinologista – Medicina Interna
CRM 28930

Como Saber Mais:
1.
O nódulo da tireóide refere-se a qualquer crescimento anormal das células da tireóide em um caroço na tireóide...
http://drcaiojr.site.med.br 

2. Embora a grande maioria dos nódulos da tireóide é benigna (não são cancerígenos), uma pequena proporção de nódulos tireoidianos são cânceres de tireóide...  
http://hipotireoidismosubclinico2.blogspot.com/ 

3.
A maioria dos pacientes com nódulos tireoidianos também terá provas de função tireoidiana normais ...    
http://dracaio.site.med.br 

AUTORIZADO O USO DOS DIREITOS AUTORAIS COM CITAÇÃO 
DOS AUTORES PROSPECTIVOS ET REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA. 


Referências Bibliográficas:
Prof. Dr.João Santos Caio Jr, Endocrinologista,Neuroendocrinologista, Dra. Henriqueta Verlangieri Caio, Endocrinologista, Medicina Interna-Van Der Häägen Brazil – São Paulo –Brasil,Gharib,H,;Goellner,J.R. Fine-needle aspiration biopsy of the thyroid:an appraisal Ann.Intern.Med.,V.118,p.282-289, 1993; Hegedus,L.; Bonnema,S.J.: Bennedbaek,F.N. Management of simple bodular goiter:current status and future perspectives.Endovr.rev.,v.24, p.102-32,2003Robert Heymann, MD; Gregory A. Brent, MD; Práticas endócrinas; 11 (2) :115-119. © Associação Americana de Endocrinologistas Clínicos.

Contato:
Fones:  55(11) 5087-4404 ou 6197-0305
Nextel:  55(11) 7717-1257 
ID: 111*101625
Rua Estela, 515 - Bloco D - 12º andar - Conj. 121/122
Paraíso - São Paulo - SP - CEP 04011-002
e-mails: drcaio@vanderhaagenbrasil.com
drahenriqueta@vanderhaagenbrasil.com 
vanderhaagen@vanderhaagenbrasil.com
 

Site Clinicas Caio
http://drcaiojr.site.med.br/
http://dracaio.site.med.br/

Site Van Der Haagen Brazil
www.vanderhaagenbrazil.com.br

4 de junho de 2012

EXOFTALMIA – ENDOCRINOLOGIA – NEUROENDOCRINOLOGIA: EXOFTALMIA – UMA ALTERAÇÃO TIREOIDIANA QUE PODE CAUSAR A EXOFTALMIA É A DOENÇA DE GRAVES EM CASOS RAROS A EXOFTALMIA PODE SER CAUSADA POR OUTRAS DOENÇAS.

Exoftalmia não é uma condição. É a palavra grega usada para descrever abaulamento ou saliência dos globos oculares. Proptose é outro termo que também significa abaulamento dos olhos. Olhos esbugalhados é geralmente um sinal ou sintoma que você tem uma alteração que afeta a glândula tireóide. A glândula tireóide está localizada na região do pescoço, abaixo do pomo de Adão, e controla a velocidade que o corpo utiliza energia (metabolismo). Quando uma alteração da tireóide provoca sintomas que afetam os olhos, é conhecida como uma doença ocular da tireóide ou orbitopatia da tireóide. Uma alteração da tireóide que pode causar exoftalmia é a doença de Graves. Em casos raros, a exoftalmia pode ser causada por outras doenças. Doença de Graves é uma doença autoimune. Isto significa que o sistema imunitário – ou seja, o sistema de defesa do corpo - ataca algumas das células saudáveis ​​do corpo e tecidos. Isso geralmente faz com que a glândula tireóide se torne hiperativa (hipertireoidismo). Doença de Graves pode causar alterações nos olhos com sintomas que afetam os olhos, tais como: exoftalmia; olhos secos; olhos vermelhos; olhos inchados; irritação dos olhos; fotofobia (sensibilidade à luz). 
Exoftalmia é um sintoma comum da doença ocular devida à tireóide, mas doença ocular da tireóide também pode existir sem abaulamento dos olhos. Quase um terço das pessoas com doença de Graves desenvolve doença ocular tireoidiana e eles normalmente têm exoftalmia. Não está claro exatamente quão comum é a exoftalmia. A cada ano há cerca de cinco ou seis casos de doença tireoidiana dos olhos para cada 100.000 pessoas. Cerca de dois terços das pessoas com doença tireoidiana dos olhos têm exoftalmia. Doença ocular tireoidiana é geralmente mais comum em mulheres com idade entre 30-50 anos. As pessoas que fumam também têm um risco significativamente aumentado de desenvolver doença ocular tireoidiana. Quando exoftalmia é causada por doença ocular tireoidiana, os olhos não podem voltar ao normal. Se os olhos estão vermelhos, irritados e inchados, estes sintomas geralmente se acalmam depois de alguns meses. No entanto, em alguns casos, pode demorar mais de dois anos. Em até 1 em cada 20 pessoas, a doença tireoidiana do olho pode ficar pior, resultando em  visão dupla ou algum grau de deficiência visualO tratamento para os problemas subjacentes da tireóide não necessariamente ajudarão a exoftalmia, mas é essencial que a doença da tireóide seja tratada. Os corticosteróides são um tipo de medicamento que pode reduzir o inchaço dos olhos, e a radioterapia (radiação de alta energia) também é um tratamento eficaz. Em casos raros, a cirurgia pode ser necessária. O resultado do tratamento pode ser excelente, desde que o tratamento seja realizado em centros com experiência e habilidade em lidar com esta condição. Os melhores resultados para pessoas com doença ocular tireoidiana vêm de tratamento envolvendo: endocrinologistas (médicos que se especializam em condições hormonais) e oftalmologistas (médicos que se especializam em doenças dos olhos e do seu tratamento ou cirurgia).

AUTORES PROSPECTIVOS
Endocrinologia – Neuroendocrinologia
CRM 20611

Dra. Henriqueta V. Caio
Endocrinologia – Medicina Interna
CRM 28930

Como Saber Mais:
1. Exoftalmia não é uma condição. É a palavra grega usada para descrever abaulamento ou saliência dos globos oculares... 
http://hipertireoidismo.blogspot.com 

2.
Proptose é outro termo que também significa abaulamento dos olhos... 
http://metabolicasindrome.blogspot.com 

3.
Olhos esbugalhados é geralmente um sinal ou sintoma que você tem uma alteração que afeta a glândula tireóide... 
http://hipertireoidismo.blogspot.com  

AUTORIZADO O USO DOS DIREITOS AUTORAIS COM CITAÇÃO
DOS AUTORES PROSPECTIVOS ET REFERÊNCIA BIBLIOBRAFICA.

Referências Bibliográficas:
Dr. João Santos Caio Jr., Endocrinologista – Neuroendocrinologista, Dra.Henriqueta V.Caio, Endocrinologista – Medicina Interna - VAN DER HÄÄGEN BRAZIL – São Paulo – Brasil - Britânico Thyroid Association; Associação Britânica de Cirurgiões Endócrina e da tireóide.

Contato:
Fones: 55(11) 5087-4404 ou 6197-0305
Nextel: 55(11) 7717-1257
ID: 111*101625
Rua Estela, 515 - Bloco D - 12º andar - Conj 121/122
Paraiso - São Paulo - SP - CEP 04011-002
e-mails: drcaio@vanderhaagenbrasil.com
drahenriqueta@vanderhaagenbrasil.com
vanderhaagen@vanderhaagenbrasil.com

Site Clinicas Caio
http://drcaiojr.site.med.br/
http://dracaio.site.med.br/

Site Van Der Haagen Brazil
www.vanderhaagenbrazil.com.br
www.clinicavanderhaagen.com.br

22 de janeiro de 2012

ENDOCRINOLOGIA – NEUROENDOCRINOLOGIA: UMA MOLÉSTIA MUITO COMUM EM HUMANOS, APESAR DE EFETUAR ESTRAGOS CONSIDERÁVEIS SE NÃO FOREM TOMADAS ATITUDES PRECOCES E PREVENTIVAS, QUE NA GRANDE MAIORIA DOS CASOS É REVERSÍVEL.

Fazer exames de sangue para medir os níveis de hormônios da tireóide. O nível de TSH (hormônio estimulante da tireóide) geralmente é baixo; a triiodotironina (T3) e tiroxina (T4) livre geralmente são elevadas. O hipertireoidismo é geralmente tratável ​​e raramente é fatal. Algumas de suas causas podem desaparecer sem tratamento. O hipertireoidismo causado pela doença de Graves geralmente piora ao longo do tempo. Ele tem muitas complicações, algumas das quais são graves e afetam a qualidade de vida. A tempestade da tireóide, também chamada de tireotoxicose , é um súbito agravamento dos sintomas de hipertireoidismo que podem ocorrer com infecção ou stress. Ela pode se desenvolver com febre, diminuição da agilidade, e dor abdominal, necessitando de internação imediata.
Outras complicações relacionadas ao hipertireoidismo incluem: Relacionados com o coração complicações, tais como: Frequência cardíaca acelerada; Insuficiência cardíaca congestiva; Fibrilação atrial. Aumento do risco de desenvolver a osteoporose se o hipertireoidismo está presente por um longo tempo. Complicações relacionadas à cirurgia, tais como: Cicatriz do pescoço; Rouquidão, devido a danos nos nervos da laringe; Baixos níveis de cálcio devido a danos nas glândulas paratireóides (localizadas perto da glândula tireóide). Tratamentos para o hipertireoidismo, tais como o iodo radioativo, cirurgia e medicamentos para substituir os hormônios da tireóide podem ter complicações. Entretanto o endocrinologista ou neuroendocrinologista experiente, possui um arsenal de terapias que a curto prazo pode reverter as disfunções graves da tireóide, pois a tireóide além de apresentar uma quantidade de variantes complexas, também é uma das glândulas mais estudadas e mais conhecidas de todo o metabolismo humano, se tiver sintomas que poderiam ser causados ​​pela produção excessiva de hormônio tireoidiano, os profissionais com exames relativamente simples irão detectar e corrigir.
Ir para o pronto-socorro caso haja mudança do estado de consciência; Tontura; Batimentos cardíacos rápidos e irregulares. Depressão; Lentidão mental e física; Ganho de peso. Essa moléstia pode chegar a uma evolução tão grave, que poderá evoluir para um coma, embora o coma seja mais frequente no hipotireoidismo. Não há formas conhecidas para prevenir hipertireoidismo. 



AUTORES PROSPECTIVOS 
Dr. João Santos Caio Jr. 
Endocrinologia – Neuroendocrinologista 
CRM 20611 

Dra. Henriqueta V. Caio 
Endocrinologista – Medicina Interna 
CRM 28930


Como Saber Mais:
1. O hipertireoidismo é uma condição em que a glândula tireóide produz excesso de hormônio tireoidiano...
http://hipertireoidismo.blogspot.com/

2 . O hipertireoidismo ocorre quando a tireóide libera uma quantidade maior de seus hormônios durante um curto período de tempo (aguda) ou longa (crônica)...
http://hipertireoidismo.blogspot.com/

3. A tempestade da tireóide, também chamada de tireotoxicose , é um súbito agravamento dos sintomas de hipertireoidismo que podem ocorrer com infecção ou stress...
http://serobesonao.blogspot.com


AUTORIZADO O USO DOS DIREITOS AUTORAIS COM CITAÇÃO
DOS AUTORES PROSPECTIVOS ET REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA
.



Referências Bibliográficas: 
Dr. João Santos Caio Jr, Diretor Cientifico et Dra. Henriqueta Verlangieri Caio, Diretora Clinica - Van Der Häägen Brazil, São Paulo - Brasil, Nordyke RA, Gilbert FI Jr, Harada AS. Graves' disease. Influence of age on clinical findings. Arch Intern Med 1988; 148:626.Trzepacz PT, Klein I, Roberts M, et al. Graves' disease: an analysis of thyroid hormone levels and hyperthyroid signs and symptoms. Am J Med 1989; 87:558.Krassas GE, Pontikides N, Kaltsas T, et al. Menstrual disturbances in thyrotoxicosis. Clin Endocrinol (Oxf) 1994; 40:641.Kidd GS, Glass AR, Vigersky RA. The hypothalamic-pituitary-testicular axis in thyrotoxicosis. J Clin Endocrinol Metab 1979; 48:798.Trivalle C, Doucet J, Chassagne P, et al. Differences in the signs and symptoms of hyperthyroidism in older and younger patients. J Am Geriatr Soc 1996; 44:50.Woeber KA. Thyrotoxicosis and the heart. N Engl J Med 1992; 327:94.Ayres J, Rees J, Clark TJ, Maisey MN. Thyrotoxicosis and dyspnoea. Clin Endocrinol (Oxf) 1982; 16:65. 


Contatos:
Fones: 55 (11) 5087-4404 ou 6197-0305
Nextel: 55 (11) 7717-1257
ID:111*101625
Rua Estela, 515 - Bloco D - 12º andar - Conj 121/122
Paraiso - São Paulo - SP - Cep 04011-002
e-mails: drcaio@vanderhaagenbrasil.com
drahenriqueta@vanderhaagenbrasil.com
vanderhaagen@vanderhaagenbrasil.com

Site Clínicas Caio
http://drcaiojr.site.med.br/
http://dracaio.site.med.br/

Site Van Der Häägen Brazil
www.vanderhaagenbrazil.com.br
www.clinicavanderhaagen.com.br

Google Maps:
http://maps.google.com.br/maps/place?cid=5099901339000351730&q=Van+Der+Haagen+Brasil&hl=pt&sll=-23.578256,-46.645653&sspn=0.005074,0.009645&ie=UTF8&ll=-23.575591,-46.650481&spn=0,0&t=h&z=17

20 de janeiro de 2012

DISTÚRBIOS DA TIREÓIDE – ENDOCRINOLOGIA – NEUROENDOCRINOLOGIA: TIREOIDITE SILENCIOSA E TIREOIDITE SUBAGUDA - 2 SITUAÇÕES DIFERENTES QUE PODEM LEVAR AO HIPOTIREOIDISMO.

Este distúrbio da glândula tireóide pode desenvolver o inchaço (inflamação) da glândula tireóide, em que as pessoas podem evoluir de hipertireoidismo para hipotireoidismo. A tireoidite silenciosa acomete mais freqüentemente mulheres do que homens. Os primeiros sintomas da tireoidite silenciosa resultam de uma tireóide hiperativa (hipertireoidismo) e podem durar três meses ou menos. Mais tarde, os sintomas podem ser de uma disfunção da tiróide (incluindo fadiga e intolerância ao frio) até que a tireóide se recupera. Os sintomas geralmente são leves e podem incluir: Fadiga; Freqüentes evacuações; Intolerância ao calor; Aumento do apetite; Aumento da transpiração; Períodos menstruais irregulares; Irritabilidade; Cãibras musculares; Nervosismo, inquietação; Palpitações; Fraqueza; Perda de peso. Um exame físico pode mostrar:
Aumento da glândula tireóide; Freqüência cardíaca acelerada. Os exames podem mostrar: Diminuição da captação de iodo radioativo; Aumento nos níveis sanguíneos de hormônios da tireóide triiodotironina (T3) e tiroxina (T4); Glóbulos brancos (linfócitos) em uma biópsia da tireóide. O tratamento é baseado em sintomas. Geralmente, a tireoidite silenciosa pode desaparecer por si só dentro de um ano. Fase aguda final em três meses. Algumas pessoas podem desenvolver hipotireoidismo ao longo do tempo, devem fazer acompanhamento médico. Se tiver alguns destes sintomas procure seu médico ou um endocrinologista. A tireoidite subaguda envolve inchaço (inflamação) da glândula tireóide, que geralmente ocorre após infecção das vias aéreas superiores. A tireoidite subaguda é uma doença rara e acredita-se ser causada por uma infecção viral. A condição freqüentemente ocorre após uma infecção viral do trato respiratório, tais como caxumba e influenza. A tireoidite subaguda ocorre mais freqüentemente em mulheres de meia idade com sintomas recentes de infecção viral das vias aéreas. O sintoma mais frequente de tireoidite subaguda é a dor no pescoço.
Às vezes a dor pode se espalhar (irradiar) para a mandíbula ou ouvidos. O aumento doloroso da glândula tireóide pode durar semanas ou meses. Outros sintomas incluem: Dificuldade em engolir; Fadiga; Febre; Rouquidão; Fraqueza. Os sintomas de excesso de hormônio da glândula tireóide (hipertireoidismo) podem incluir: Diarréia; Intolerância ao calor; Nervosismo; Palpitações; Sudorese; Tremor. Mais tarde, pode haver sintomas de baixa produção de hormônio da tireóide (hipotireoidismo), tais como: Intolerância ao frio; Prisão de ventre; Fadiga. Normalmente, a função da glândula tireóide volta ao normal, mas em alguns casos, o hipotireoidismo pode ser permanente. Os testes laboratoriais no início da doença podem apresentar: Baixo nível de hormônio estimulador da tireóide (TSH) no soro; Alto nível de T4 livre no soro (hormônio da tireóide, tiroxina); Captação de iodo radioativo de baixa; Alto nível de tireoglobulina sérica; Taxa de sedimentação de eritrócitos (TSE – células vermelhas do sangue) elevada.
Os testes laboratoriais na fase tardia da doença podem apresentar: Altos níveis de hormônio estimulante da tireóide (TSH) no soro; Baixos níveis séricos de tiroxina (T4) livre. Pode ocorrer baixos níveis de anticorpos anti-tireoidianos. A biópsia da glândula tireóide geralmente não é necessária, mas vai mostrar uma inflamação característica da doença. Os testes de laboratório devem voltar ao normal quando a condição voltar ao normal. A condição deve melhorar por si só. No entanto, a doença pode durar meses. Podem ocorrer complicações graves em longo prazo. As complicações são: Hipotireoidismo permanente; A tireoidite subaguda pode retornar após o tratamento.Se você apresentar alguns dos sintomas, procure seu médico ou um endocrinologista: Você tem sintomas desta doença; Apresenta tireoidite e os sintomas não melhoram com o tratamento. A prevenção da tireoidite subaguda deve ser feita com a vacina MMR e a vacina contra a gripe, pois elas podem ajudar a prevenir estas condições, ou seja a tireoidite subaguda.



AUTORES PROSPECTIVOS


Dr. João Santos Caio Jr. 
Endocrinologia – Neuroendocrinologista 
CRM 20611 

Dra. Henriqueta V. Caio 
Endocrinologista – Medicina Interna 
CRM 28930

Como Saber Mais:
1. A tireoidite silenciosa acomete mais freqüentemente mulheres do que homens...
http://hipertireoidismo.blogspot.com/

2 . Algumas pessoas podem desenvolver hipotireoidismo ao longo do tempo...
http://hipotireoidismosubclinico2.blogspot.com/

3. Tireoidite subaguda deve melhorar por si só. No entanto, a doença pode durar meses. Podem ocorrer complicações graves em longo prazo...
http:// hipertireoidismo.blogspot.com/


AUTORIZADO O USO DOS DIREITOS AUTORAIS COM CITAÇÃO
DOS AUTORES PROSPECTIVOS ET REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA.



Referências Bibliográficas: 
Dr. João Santos Caio Jr, Diretor Cientifico et Dra. Henriqueta Verlangieri Caio, Diretora Clinica - Van Der Häägen Brazil, São Paulo - Brasil, AACE Força-Tarefa da tireóide. Associação Americana de Endocrinologistas de diretrizes clínicas médicas para a prática clínica para a avaliação e tratamento do hipertireoidismo e hipotireoidismo. Endocr Pract . 2002, 8:457-469. Ladenson P, Kim M. Tireóide. In: Goldman L Ausiello D e, eds. Medicine Cecil . 23 ed. Filadélfia, Pa: Saunders, 2007: cap 244. Brent GA, Larsen PR, Davies TF. Hipotireoidismo e tireoidite. In: Kronenberg HM, Melmed S, Polonsky KS, Larsen PR, eds. Williams Textbook of Endocrinology. 11 ed. Filadélfia, Pa: Saunders Elsevier, 2008: cap 12. Brent GA, Larsen PR, Davies TF. Hipotireoidismo e tireoidite. In: Kronenberg HM, Melmed S, Polonsky KS, Larsen PR, eds. Williams Textbook of Endocrinology. 11 ed. Filadélfia, Pa: Saunders Elsevier, 2008: cap 12 

Contatos:
Fones: 55 (11) 5087-4404 ou 6197-0305
Nextel: 55 (11) 7717-1257
ID:111*101625
Rua Estela, 515 - Bloco D - 12º andar - Conj 121/122
Paraiso - São Paulo - SP - Cep 04011-002
e-mails: drcaio@vanderhaagenbrasil.com
drahenriqueta@vanderhaagenbrasil.com
vanderhaagen@vanderhaagenbrasil.com

Site Clínicas Caio
http://drcaiojr.site.med.br/
http://dracaio.site.med.br/

Site Van Der Häägen Brazil
www.vanderhaagenbrazil.com.br
www.clinicavanderhaagen.com.br

Google Maps:
http://maps.google.com.br/maps/place?cid=5099901339000351730&q=Van+Der+Haagen+Brasil&hl=pt&sll=-23.578256,-46.645653&sspn=0.005074,0.009645&ie=UTF8&ll=-23.575591,-46.650481&spn=0,0&t=h&z=17

18 de janeiro de 2012

HIPERTIREOIDISMO – ENDOCRINOLOGIA – NEUROENDOCRINOLOGIA: O HIPERTIREOIDISMO É UMA CONDIÇÃO EM QUE A GLÂNDULA TIREÓIDE PRODUZ EXCESSO DE HORMÔNIO TIREOIDIANO E PODE SER CAUSADO POR DIVERSAS DOENÇAS E CONDIÇÕES.

O hipertireoidismo é uma condição em que a glândula tireóide produz excesso de hormônio tireoidiano. Esta condição é freqüentemente chamada de "hipertireoidismo". A glândula tireóide é um órgão importante do sistema endócrino e está localizado na parte frontal do pescoço, logo abaixo da laringe. A glândula produz hormônios tiroxina (T4) e triiodotironina (T3), que controlam a forma como cada célula do corpo usa a energia. Este processo é chamado de metabolismo . O hipertireoidismo ocorre quando a tireóide libera uma quantidade maior de seus hormônios durante um curto período de tempo (aguda) ou longa (crônica).
Este problema pode ser causado por muitas doenças e condições, incluindo: Ficando iodo demais; Doença de Graves (responsável pela maior parte dos casos de hipertireoidismo); Inflamação (tireoidite) da tireóide devido a infecções virais ou outras causas; Os tumores não cancerosos da glândula tireóide ou da hipófise; Ingerir grandes quantidades de hormônio da tireóide; Tumores do testículos ou ovários. A Doença de Graves é responsável por 85% dos casos de hipertireoidismo. Os sintomas mais freqüentes são: Dificuldade de concentração; Fadiga; Evacuações frequentes; Bócio (glândula tireóide visivelmente com volume aumentado) ou nódulos da tireóide; Intolerância ao calor; Aumento do apetite; Aumento da transpiração; Irregularidades menstruais em mulheres; Nervosismo; Inquietação; Perda de peso (raramente ganho de peso). Outros sintomas que também podem ocorrer com esta doença: Desenvolvimento mamário nos homens; Pele úmida; Diarréia; Queda de cabelo; Tremor; Fraqueza; Hipertensão;

Prurido generalizado; Ausência de menstruação em mulheres; Náuseas e vômitos; Pulso rápido e irregular; Olhos salientes (exoftalmia); Batimento cardíaco irregular, forte e rápido ( palpitações ); Pele corada ou rubor; Dificuldade em dormir. O exame físico pode revelar aumento do volume da tireóide, tremores, reflexos hiperativos ou aumento da frequência cardíaca . Pressão arterial sistólica (o primeiro número na leitura da pressão do sangue) pode ser elevada. O hipertireoidismo subclínico é uma forma leve de hipertireoidismo e é diagnosticado pelos níveis sanguíneos anormais de hormônios da tireóide, muitas vezes na ausência de quaisquer sintomas. 
                          
AUTORES PROSPECTIVOS
Dr. João Santos Caio Jr. 
Endocrinologia – Neuroendocrinologista 
CRM 20611

Dra. Henriqueta V. Caio 
Endocrinologista – Medicina Interna 
CRM 28930

Como Saber Mais:
1. A glândula produz hormônios tiroxina (T4) e triiodotironina (T3), que controlam a forma como cada célula do corpo usa a energia...
http://hipertireoidismo.blogspot.com/

2 . A Doença de Graves é responsável por 85% dos casos de hipertireoidismo...
http://hipertireoidismo.blogspot.com/

3. O hipertireoidismo subclínico é uma forma leve de hipertireoidismo e é diagnosticado pelos níveis sanguíneos anormais de hormônios da tireóide, muitas vezes na ausência de quaisquer sintomas...
http://serobesonao.blogspot.com



AUTORIZADO O USO DOS DIREITOS AUTORAIS COM CITAÇÃO
DOS AUTORES PROSPECTIVOS ET REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA.


Referências Bibliográficas: 
Dr. João Santos Caio Jr, Diretor Cientifico et Dra. Henriqueta Verlangieri Caio, Diretora Clinica - Van Der Häägen Brazil, São Paulo - Brasil, Nordyke RA, Gilbert FI Jr, Harada AS. Graves' disease. Influence of age on clinical findings. Arch Intern Med 1988; 148:626.Trzepacz PT, Klein I, Roberts M, et al. Graves' disease: an analysis of thyroid hormone levels and hyperthyroid signs and symptoms. Am J Med 1989; 87:558.Krassas GE, Pontikides N, Kaltsas T, et al. Menstrual disturbances in thyrotoxicosis. Clin Endocrinol (Oxf) 1994; 40:641.Kidd GS, Glass AR, Vigersky RA. The hypothalamic-pituitary-testicular axis in thyrotoxicosis. J Clin Endocrinol Metab 1979; 48:798.Trivalle C, Doucet J, Chassagne P, et al. Differences in the signs and symptoms of hyperthyroidism in older and younger patients. J Am Geriatr Soc 1996; 44:50.Woeber KA. Thyrotoxicosis and the heart. N Engl J Med 1992; 327:94.Ayres J, Rees J, Clark TJ, Maisey MN. Thyrotoxicosis and dyspnoea. Clin Endocrinol (Oxf) 1982; 16:65.

Contatos:
Fones: 55 (11) 5087-4404 ou 6197-0305
Nextel: 55 (11) 7717-1257
ID:111*101625
Rua Estela, 515 - Bloco D - 12º andar - Conj 121/122
Paraiso - São Paulo - SP - Cep 04011-002
e-mails: drcaio@vanderhaagenbrasil.com
drahenriqueta@vanderhaagenbrasil.com
vanderhaagen@vanderhaagenbrasil.com

Site Clínicas Caio
http://drcaiojr.site.med.br/
http://dracaio.site.med.br/

Site Van Der Häägen Brazil
www.vanderhaagenbrazil.com.br
www.clinicavanderhaagen.com.br

Google Maps:
http://maps.google.com.br/maps/place?cid=5099901339000351730&q=Van+Der+Haagen+Brasil&hl=pt&sll=-23.578256,-46.645653&sspn=0.005074,0.009645&ie=UTF8&ll=-23.575591,-46.650481&spn=0,0&t=h&z=17